Coluna: Geral RS

Assalto a carro-forte provoca noite de terror em Caxias
20 de Junho de 2024 às 08:14
Para evitar trânsito no aeroporto, a Avenida Salgado Filho foi bloqueada. Porthus Junior / Agencia RBS
Para evitar trânsito no aeroporto, a Avenida Salgado Filho foi bloqueada. Porthus Junior / Agencia RBS

Uma noite de futebol transformada em noite de terror. Equipes da Brigada Militar que atuavam no policiamento ostensivo da partida entre Juventude e Vasco, no Estádio Alfredo Jaconi, foram uma das tantas forças de segurança mobilizadas para atuar no assalto a um carro-forte no Aeroporto Hugo Cantergiani, nesta quarta-feira (19).

Da Brigada Militar, estiveram envolvidos policiais do 4º Batalhão de Choque, do 12º Batalhão de Polícia Militar (12°BPM), do Batalhão de Operações Especiais (Bope) e do Batalhão de Aviação. Reforços do 1º Batalhão de Choque e do Batalhão de Operações Especiais foram enviados de Porto Alegre. Polícia Federal, Polícia Rodoviária Federal, Polícia Civil, Guarda Municipal e Exército se somaram ao cerco.

Tamanha operação foi armada em resposta a um grupo criminoso que assaltou o veículo de transporte de valores, ocasionando uma série de confrontos com a Brigada Militar. Em uma troca de tiros, o 2º sargento do 12° BPM Fabiano Oliveira morreu. Ele foi atingido por um tiro de fuzil no tórax, que atravessou o colete de proteção balística. Mesmo socorrido e levado ao hospital, o brigadiano não resistiu. Ele deixa esposa e dois filhos. Um criminoso também morreu.

No bairro Salgado Filho, os primeiros disparos começaram a ser ouvidos próximo ao Hugo Cantergiani por volta de 19h. Uma moradora viu, momentos antes, duas caminhonetes pretas na entrada do bairro Santos Dumont, atrás do aeroporto. Além de armamento pesado e fardamento falso, o grupo usou veículos com adesivos da Polícia Federal (PF).

Do lado de dentro do aeroporto, pavor. Uma funcionária do local, que conseguiu deixar o terminal por volta de 22h, relatou ter ouvido os disparos e presenciou quando parte da loja em que ela trabalha foi atingida.

— Começou o tiroteio. Eles (os criminosos) ficaram bem pertinho do aeroporto. Nós ficamos todos ali dentro (do terminal) — diz a funcionária.

Para evitar trânsito no aeroporto, a Avenida Salgado Filho foi bloqueada. As ruas a partir desse ponto tornaram-se desertas. Nesse mesmo bloqueio, uma mãe desesperada apareceu pedindo pelo filho. Ele e outras crianças estavam trancadas em um CTG que fica próximo ao aeroporto. A última informação é que as crianças conseguiram deixar o local.

Já por volta de 23h, um grupo de quatro funcionários do terminal de cargas conseguiu deixar o aeroporto. Eles relatam que estavam saindo às 19h do trabalho. O tiroteio começou e eles foram orientados retornar. Segundo o grupo, todos os funcionários do terminal de cargas conseguiram sair do Hugo Cantergiani.

Fonte: O Pioneiro.

Mais artigos de Geral RS