Coluna: COLUNA DO BARBOSA

Detalhes da Vida
04 de Dezembro de 2020 às 07:15
Pequenos gestos, pequenas atitudes fazem toda a diferença... Não esqueça que a felicidade está nos pequenos detalhes da nossa vida.
Pequenos gestos, pequenas atitudes fazem toda a diferença... Não esqueça que a felicidade está nos pequenos detalhes da nossa vida.

A vida é feita de detalhes. Pequenos, minúsculos, mas extremamente importantes. Se você, ao acordar pela manhã, abrir a janela de seu quarto e disser para si mesmo: “Hoje eu vou ser feliz!", já é meio caminho andado. A partir daí, tente atingir seu objetivo, pois cada gesto, atitude ou tomada de decisão contará muito. Procure aprender coisas novas todos os dias. Ria de uma boa piada, o riso sempre melhora o humor das pessoas. Dê bom dia a alguém, mas não de forma mecânica; faça-o com apreço, demonstrando interesse por aquela pessoa. Fale com um amigo, pergunte como ele está; ligue para um familiar, só para dizer que gosta muito dele. Além de agradar a quem ouve, você vai se dar conta de que o seu dia já começa a melhorar. São pequenos gestos, pequenas atitudes, mas que fazem toda a diferença. E não esqueça que a felicidade está nos pequenos detalhes da nossa vida.

Afinal de contas, de amarguras o mundo já está saturado, basta ver essa pandemia que está se mostrando interminável.

PARA DESCONTRAIR:

O GÊNIO
Uma mulher encontra uma Lâmpada de Aladim. Imediatamente a esfrega e, como num passe de mágica, sai um Gênio. A mulher, rapidamente, faz um pedido:

- Quero que meu marido só tenha olhos para mim, que eu seja a única; que tome seu café da manhã, almoço e janta sempre ao meu lado, que me toque logo ao se levantar; que não me deixe nem para ir ao banheiro. Que viaje sempre comigo, que cuide de mim, me contemple, me admire. Se eu me afastar por um segundo, que ele se desespere e me diga a falta que lhe faço. Que nunca me deixe só e me leve a todos os lugares com ele...

O Gênio pensou e zzzasssss!!! Transformou-a num Celular!!!

PSIQUIATRAS
No consultório do psiquiatra, o médico entra em sua sala e encontra  um homem no chão, que se arrasta de quatro com algo na boca. O psiquiatra diz:

- Ah! Olha quem veio aqui hoje! É um gatinho?

O homem rasteja para outro canto. O médico o segue:

- É um cachorrinho?

Ele rasteja até embaixo da mesa do médico e coloca a mão sobre o computador e vira-se para um buraquinho no chão puxando um fio. O médico então se senta na sua poltrona e diz:

- Ok. Acho que realmente é um gato. Quer conversar sobre isso?

O sujeito tira da boca um rolo de fita isolante e diz, já irritado:

- Olha aqui, doutor, ou o senhor me deixa trabalhar em paz ou eu não vou mais instalar essa droga de internet!!!


Por Nolfeu Barbosa

Mais artigos de COLUNA DO BARBOSA