Coluna: @ Serra gaúcha - Por Oliveira Junior

Crises nos ajudam evoluir. - Divaldo
20 de Março de 2020 às 09:21
Estamos temendo esse vírus como se fosse a extinção da raça humana. Isso faz parte do nosso processo evolutivo, até para que possamos aprender com isso e aprender novos hábitos.
Estamos temendo esse vírus como se fosse a extinção da raça humana. Isso faz parte do nosso processo evolutivo, até para que possamos aprender com isso e aprender novos hábitos.

Confesso que não estava a fim de discorrer esse assunto, o qual na verdade monopolizou as atenções do país e do mundo: coronavírus. Eu comentava com meu filho Junior de Oliveira sobre a expectativa de ouvir a manifestação do famosíssimo médium brasileiro, Divaldo Pereira Franco. Dois dias depois, ele surgiu a mil na rede social. Disse Divaldo: "Nós passamos pela gripe espanhola, peste negra, gripe A, etc". O sarampo tem uma letalidade muito maior que o coronavírus e nós aqui estamos. Divaldo diz que na visão espírita, isso é visto como progresso do fenômeno cultural. A terra é um mundo de provas e expiações, de alegrias e tristezas, mas também de regenerações. As alegrias e as tristezas, ambas são passageiras. Os nossos valores éticos são maiores que as nossas tendências negativas.

Os gregos afirmavam que são "crisas", "crises". A palavra crise significa que, antes de um grande salto, vem problemas. Essas crises nos ajudam a evoluir. Ciência, filosofia e religião fazem parte do contexto de todos nós.

Estamos temendo esse vírus como se fosse a extinção da raça humana. Isso faz parte do nosso processo evolutivo, até para que possamos aprender com isso e aprender novos hábitos. Está no Alcorão- "não cai uma folha de uma árvore sem que o Pai Celestial autorize". Pânico, jamais. Fé, sim. Mas há muitas semelhanças entre os livros sagrados dos judeus, dos cristãos e dos muçulmanos. O anjo que ditou as palavras para Maomé é Gabriel, o mesmo que avisou Maria da sua gravidez. Além disso, o Alcorão admite que Abraão, Moisés e Jesus receberam, de fato, mensagens divinas.

É óbvio que é preciso prevenção. A Susepe suspendeu visitas aos presos no nosso estado gaúcho. As aulas cessaram nas escolas municipais, estaduais, na URI, enquanto os clubes esportivos também cessaram suas atividades. Isso é certo? Sim. Lembro o que diziam meus pais Plínio e Amélia: "É melhor prevenir do que remediar". Uns concordam, outros nem tanto. Livre arbítrio. Nesse momento não é o ato que importa, e sim, o fato. Pensemos juntos, afinal, a liberdade de pensamento está expressa na nossa Carta Constitucional.

Foi confirmado o cancelamento do 17º Rodeio Crioulo Nacional de Flores da Cunha, que iria acontecer de 16 a 19 de abril, no Parque de Eventos Antônio Dante Oliboni, devido à epidemia Coronavírus. O evento tradicionalista na terra do galo tem entre as suas atividades artísticas, fandangos, espetáculos, provas campeiras e gineteadas. Aguardemos!

 

Direto da serra gaúcha, Oliveira Junior.

Mais artigos de @ Serra gaúcha - Por Oliveira Junior