Coluna: @ Serra gaúcha - Por Oliveira Junior

Ao cavaleiro sem esperança.
28 de Junho de 2019 às 09:28
Posso não ser Psicólogo nem Psicoterapeuta, todavia, o convívio com pessoas do bem, nos propicia acessarmos diariamente a fonte chamada felicidade
Posso não ser Psicólogo nem Psicoterapeuta, todavia, o convívio com pessoas do bem, nos propicia acessarmos diariamente a fonte chamada felicidade

A gente lembra que noutros tempos havia uma série de dificuldades para as pessoas se comunicarem. Eram pombos correio, cartas e curiosos meios de ligações. Com o advento da internet é questão de segundos e o mundo saberá onde estamos, o que estamos fazendo, sentindo, etc, e tal.

Pois foi pela rede social que recebi uma mensagem de um amigo que diz estar padecendo com a chamada depressão e sugerindo que recorrêssemos aos nossos conhecimentos e que argumentássemos nessa coluna para sua orientação.

Bom, ainda não sou Psicólogo, mas vamos lá. A depressão nos leva ao estresse, prejudica o sistema nervoso, e faz com que a gente não se alimente adequadamente. Geralmente a pessoa não acha tempo para atividades físicas e de lazer, afeta o psicológico entre outras consequências. A verdade é que a depressão afeta os sentimentos levando ao estado de tristeza, e essa nos traz doenças das mais diversas.

O amigo ao qual me refiro, eu o cognominei de "o cavaleiro sem esperança", porque ele se queixou por várias vezes na sua missiva, que está descrente e sem esperança na vida por vários motivos, tristemente asseverou ele.

Dentre outras, temos a depressão espiritual, e a depressão afetiva.

Seja qual for a depressão, se não tratada adequadamente pode causar várias doenças, como por exemplo, quando atinge as partes cardiovasculares, osteo-articulares, diabetes mellitus e problemas da tireóide.

Uma pessoa deprimida, obviamente vai perdendo a esperança em tudo. Ela é atingida por sintomas comuns do cotidiano, exemplifique-se o estresse excessivo, a insônia, aumento ou perda excessiva de apetite e tristeza pelo mínimo motivo. Um detalhe- aumenta o apetite dos mais gordinhos, e as pessoas magras acabam perdendo quase que totalmente a fome. Pior que esses sintomas simples, iludi a pessoa depressiva, levando-a pensar que deixando o garfo de lado, vai ficar saradona.

Pensando bem, a melhor coisa é começar tratando a parte espiritual. Por que ? Ora, se eu não me conectar com Deus, eu não terei forças para prosseguir. A força principal vem do universo e em segundo, eu tenho que querer de acordo com meu livre arbítrio. Deus é inteligência suprema e universal como diz a Questão número 01 do Livro dos Espíritos de Allan Kardec. Sendo assim, está aí o primeiro passo.

Eu ficaria escrevendo laudas e laudas, mas meu caro "Cavaleiro sem esperança", não basta ficar ingerindo antidepressivos como disseste. Aconselho-te a utilizar-se da psicoterapia, pois esta auxilia a eliminação da falta de esperança e ajudar-te-á a entender as alterações pelas quais passa uma pessoa depressiva. Procura acercar-te de pessoas de positividade, de alto astral, que pensem pra cima, que sejam extrovertidas e que te passem bons eflúvios.

Posso não ser Psicólogo nem Psicoterapeuta, todavia, o convívio com pessoas do bem, nos propicia acessarmos diariamente a fonte chamada felicidade. Eu penso muito simples: Se estou enxergando, ouvindo, podendo caminhar, falando, se tenho um teto para morar, se tenho o pão de cada dia e trabalho, eu sou pelo menos, um dos caras mais felizes do mundo. É justamente aí que nasce a minha esperança, e consequentemente me torno um cara cheio de fé e feliz. Ajudei ?

Direto da Serra Gaúcha- Oliveira Junior.  

Mais artigos de @ Serra gaúcha - Por Oliveira Junior