Coluna: Geral

Polícia encontra corpos que podem ser do casal desaparecido em São Borja
03 de Abril de 2019 às 10:53
Vários familiares do casal e o pescador que teria avistado os corpos prestaram depoimentos. / Foto Divulgação/Brigada Militar
Vários familiares do casal e o pescador que teria avistado os corpos prestaram depoimentos. / Foto Divulgação/Brigada Militar

A Polícia Civil e a Brigada Militar localizaram, no final da tarde desta terça-feira (2/4), os corpos de duas pessoas, às margens do Rio Icamaquã, em local próximo ao do registro do desaparecimento de um casal. Policiais começaram as buscas por terra e água nas cercanias de um pesqueiro no Rio Icamaquã, na manhã de segunda-feira, após a receberem a comunicação de familiares. Agora, a Polícia aguarda pela identificação dos cadáveres, que foram encaminhados para necropsia.

Ricardo Correa Barbosa, de 31 anos, estava foragido desde agosto do ano passado, quando foi julgado e condenado à revelia pelo Tribunal do Júri a cumprir pena de 20 anos, pelo assassinato do empresário Júlio César Silveira Ferreira, ocorrido em 2008, na pista de skate do Parque General Vargas. No domingo, segundo informações de familiares, ele foi acampar acompanhado da namorada Juliana Aranda Rodrigues, de 23 anos. Ambos não foram mais vistos.

A irmã de Ricardo compareceu à delegacia na segunda-feira e disse ter recebido uma ligação de um número de telefone restrito. Do outro lado da linha, uma mulher que não se identificou informou que um pescador havia encontrado o corpo de seu irmão e o de uma jovem às margens do Rio Icamaquã.

No mesmo dia, a Polícia Civil e a Brigada Militar se deslocaram na companhia da irmã de Ricardo até o local de difícil acesso. Para isso, utilizaram um barco da Brigada Militar. Lá, encontraram uma barraca de acampamento parcialmente queimada, uma mecha de cabelo loiro, uma blusa feminina empoçada de sangue, munições calibre 22 e 38, uma bermuda azul e chinelos.

As roupas masculinas foram reconhecidos pela irmã de Ricardo. O chão também exibia vestígios de muito sangue, mas não havia cadáveres. Vários familiares do casal e o pescador que teria avistado os corpos prestaram depoimentos. A polícia trabalha em diversas linhas de investigação. 

Fonte: Rádio Cultura / São Borja.

Mais artigos de Geral