Coluna: Geral

Cacique mantinha mulher indígena grávida amarrada em árvore em aldeia
22 de Janeiro de 2022 às 14:04
Foto: Reprodução
Foto: Reprodução

A Polícia Civil de Canela atendeu pedido de socorro de uma adolescente na tarde da última quarta-feira (19), que procurou o plantão da Delegacia de Polícia para relatar que sua mãe estava amarrada em uma árvore no interior da aldeia indígena a que pertencem. O ato, realizado pelo cacique, seria punição à mulher, que está grávida, e ao companheiro por desentendimentos internos do grupo.

A Polícia Civil de Canela registrou ocorrência e de pronto compareceu ao local, socorrendo o casal, que estava amarrado a árvores no interior da tribo, atualmente estabelecida na área da Floresta Nacional do IBAMA, no interior de Canela. O casal foi atendido pela Polícia Civil, sendo ambos levados ao Hospital de Caridade de Canela para atendimento médico, sendo liberado no mesmo dia.

Na tarde da última quinta-feira (20/01), a Polícia Civil de Canela esteve presente novamente na tribo, acompanhada da Prefeitura Municipal de Canela, através da Secretaria de Assistência Social, para prestar apoio ao núcleo familiar. Ao todo, nove membros do grupo receberam atendimento para transporte desde o local até o Estado de Santa Catarina. A Assistência Social do Município também acionou a rede de proteção aos direitos indígenas.

O Delegado Vladimir Medeiros, titular da Delegacia de Polícia de Canela, informou que se trata de questão que exige atuação diferenciada por parte da equipe policial, sobretudo para garantir os direitos das vítimas e do grupo envolvido no caso, tendo sido prestado o socorro ao casal em um primeiro momento, inclusive com acompanhamento ao hospital e acionamento da rede de proteção, tendo sido instaurado inquérito policial para apurar, com as provas necessárias, responsabilidade dos autores.

A autoridade policial referiu, ainda, a rápida e exitosa intervenção dos policiais civis e da Prefeitura Municipal, através da Secretaria de Assistência Social, na defesa dos interesses das vítimas.

Fonte: RD Foco

Mais artigos de Geral