Coluna: Geral

Policiais Civis de Rosário do Sul enfrentam surto de Covid-19
16 de Outubro de 2020 às 08:52
Foto: UGEIRM Sindicato
Foto: UGEIRM Sindicato

Mais um surto de Covid-19 acomete a Polícia Civil gaúcha. Na quarta-feira (15), foi confirmado que nove policiais tiveram confirmados os testes positivos para o novo Coronavírus. A informação é de que outros policiais testaram negativo e continuam trabalhando no Plantão para atendimento de casos graves.

Desde a semana passada, já existia a informação de casos de Coronavírus, quando uma equipe da secretaria de Saúde do Município realizou a sanitização e higienização da Delegacia. Até aquele momento, eram apenas três policiais com confirmação de testes positivos.

A informação do Delegado Giovanni Lobato, titular da DPPA, é de que esses servidores ficarão afastados por 14 dias, em quarentena. O Delegado Lobato também informou que continuarão sendo atendidos apenas os casos de flagrante.

UGEIRM já havia alertado sobre problemas no protocolo da Polícia Civil

No início do mês de junho, a direção da UGEIRM encaminhou um Ofício à Chefia de Polícia sugerindo a adoção de um Protocolo a ser seguido, para casos como o que ocorre agora em Rosário do Sul. Junto ao Ofício, também foi encaminhado um Parecer elaborado pelo Jurídico do sindicato, que analisa os procedimentos adotados pela Instituição. No Parecer, o sindicato ressaltava que a Polícia Civil é a única Instituição da Segurança Pública que não tem um protocolo prevendo o afastamento dos (as) profissionais que tenham contato com pessoas infectadas com o novo Coronavírus. Esse procedimento tem resultado em casos como o que ocorre agora em Rosário do Sul.

O Presidente da UGEIRM, Isaac Ortiz, lembra que “os profissionais da segurança pública estão na linha de frente do combate ao Coronavírus tendo, portanto, que ter um olhar mais cuidadoso por parte do governo do estado. Esses profissionais estão expondo sua saúde e das suas famílias para atender a população. Isso é ainda mais preocupante, quando sabemos que muitos dos (as) colegas convivem diariamente com familiares que possuem comorbidade. Essa realidade tem assustado os (as) colegas. Esse caso de Rosário do Sul, demonstra o que a UGEIRM vem falando desde o início da Pandemia: a categoria está exposta e sem o suporte necessário por parte do governo. Desde o início da Pandemia, o sentimento que identificamos na categoria, é de abandono por parte do Estado”. “Esse caso de Rosário do Sul é importante para reafirmarmos a necessidade da manutenção dos plantões de 12X72 e 12X24. Querer impor um plantão de 24 horas, aumenta, ainda mais, o risco de contágio da categoria”, finaliza Isaac Ortiz.

Fonte: UGEIRM Sindicato

Mais artigos de Geral