Coluna: COLUNA DO BARBOSA

Ao Meu Filho (Autor desconhecido)
28 de Janeiro de 2022 às 07:40
Nolfeu Barbosa, em sua coluna desta sexta-feira, mescla reflexão com diversão, trazendo um texto de autor desconhecido e uma anedota para descontrair o final de semana.
Nolfeu Barbosa, em sua coluna desta sexta-feira, mescla reflexão com diversão, trazendo um texto de autor desconhecido e uma anedota para descontrair o final de semana.

Esta manhã eu vou sorrir quando vir o seu rosto, mesmo sentindo vontade de chorar.
Vou deixar você escolher o que vai vestir, vou sorrir e dizer o quanto você está bonito.
Eu vou deixar de lado a roupa para lavar, vou pegar você e levá-lo ao parque para brincar.
Vou deixar a louça na pia e deixar você me ensinar a montar o seu quebra-cabeça.
Esta tarde eu vou desligar o telefone, manter o computador fora do ar e sentar-me com você no quintal, para soltar bolhas de sabão.
Eu não vou gritar nenhuma vez, nem mesmo resmungar, quando você gritar e acenar para o carrinho de sorvetes, e vou comprar um se ele passar.
Eu não vou me preocupar com o que você vai ser, quando crescer.
Vou deixar você ajudar-me a assar biscoitos e não vou ficar atrás de você, tentando consertá-los.
Iremos ao McDonald’s comprar Mc lanche feliz para nós dois, só para que você possa ganhar dois brinquedos.
Esta noite vou segurá-lo em meus braços e contar-lhe uma história sobre como você nasceu, e como eu o amo.
Eu vou deixar você espirrar a água do banho e não vou ficar nervosa.
Vou deixar você ficar acordado até tarde, enquanto ficamos sentados na soleira da porta, contando as estrelas.
Eu vou me aconchegar ao seu lado por horas, mesmo que perca meus shows favoritos na TV.
Quando eu passar meus dedos entre seus cabelos, enquanto você reza, eu vou simplesmente ser grata a Deus, por ter me dado o maior presente do mundo.
Eu vou pensar nas mães e pais que procuram por seus filhos perdidos, nas mães e pais que visitam a sepultura de seus filhos ao invés de suas camas, nas mães e pais que estão em hospitais, vendo seus filhos sofrerem sem que isso tenha sentido, e gritando por dentro que não podem mais suportar isso.
E quando eu te der um beijo de boa noite, eu vou te segurar um pouquinho mais forte, por um pouquinho mais de tempo.
E é então que vou agradecer a Deus por você, e não vou pedir nada a Ele, exceto mais um dia juntos.

CRIANÇAS

Para quem quer ter filhos... E para aqueles que têm e já ficaram um tempão procurando por eles:

Segunda-feira - 8:27.
Desesperado, o chefe olha para o relógio e, já não acreditando que um funcionário chegaria a tempo de lhe dar uma informação importante para uma reunião que estava por começar, liga para a casa do dito cujo:
- Alô! - Atende uma voz de criança, meio que em sussurro.
- Alô. Seu papai está?
- Tá...
- ainda sussurrando.
- Posso falar com ele?
- Não.

Meio sem graça, o chefe tenta falar com algum outro adulto:
- E sua mamãe? Está aí?
- Tá.
- Ela pode falar comigo?
- Não. Ela tá ocupada.
- Tem mais alguém aí?
- Tem.
– sussurra outra vez.
- Quem?
- O “poliça”.

Um pouco surpreso, o chefe continua...
- O que ele está fazendo aí?
- Ele tá conversando com o papai, com a mamãe e com o “bombelo”...

Ouvindo um grande barulho do outro lado da linha, o chefe pergunta,
assustado:
- Que barulho é esse?
- É o ‘elicópito’.
- Um helicóptero?!!!
- É. Ele “tloce” a equipe de busca.
- MEU DEUS!!!! O QUE ESTÁ ACONTECENDO AÍ!!?
- o chefe pergunta, já desesperado.
E a voz sussurra, com um risinho safado:
- ELES TÃO ME “POCULANDO”!!!


Seleção de textos feita por Nolfeu Barbosa

Mais artigos de COLUNA DO BARBOSA