Coluna: NOTÍCIAS DO BRASIL E MUNDO

Ilhas Malvinas: Milei quer retomar posse do arquipélago sob controle do Reino Unido
23 de Novembro de 2023 às 11:16
Na campanha, presidente eleito argentino sugeriu que buscaria um acordo para as ilhas localizadas perto da costa argentina, mas governo britânico já indicou que não deve ceder. Foto: Emiliano Lasalvia / AFP
Na campanha, presidente eleito argentino sugeriu que buscaria um acordo para as ilhas localizadas perto da costa argentina, mas governo britânico já indicou que não deve ceder. Foto: Emiliano Lasalvia / AFP

 Javier Milei, presidente eleito na Argentina pelo partido de direita radical A Liberdade Avança, venceu Sergio Massa nas eleições de 19 de novembro com propostas que, na política externa, incluem a intenção de modular a relação com os principais parceiros comerciais da Argentina e retomar o controle das ilhas Falkland, conhecidas na Argentina como Malvinas. Apesar de o eleito "anarcocapitalista" e "libertário" não ter mais tocado no tema desde sua vitória, o governo britânico já vem deixando claro que a soberania das ilhas "é uma questão resolvida".

Na segunda-feira, o porta-voz do premier britânico, Risni Sunak, afirmou que seu governo felicita Milei pela vitória nas eleições argentinas, mas lembrou que "não há planos para rever" sobre a disputa entre os países pela soberania das Ilhas Malvinas:

— Não vi os comentários mais recentes sobre isso. Acho que [Milei] levantou vários pontos diferentes sobre isso durante a campanha. Da nossa parte, é obviamente uma questão que está resolvida há algum tempo. A posição das Ilhas Malvinas está resolvida há algum tempo e não vai mudar — disse o porta-voz à imprensa britânica.

A briga pelo arquipélago de quase 4 mil habitantes próximo da costa argentina não é de agora: registradas por um britânico em 1690, e colonizadas por franceses em 1764, as ilhas já foram disputadas dez vezes. A Argentina tentou estabelecer o comando das Malvinas duas vezes e, em 1982, o conflito do país contra o Reino Unido ficou conhecido como a Guerra das Malvinas.

Buenos Aires chegou a ter posse do arquipélago por dois meses, mas, em julho de 1982, Londres recuperou o controle que tinha desde 1833. A Guerra das Malvinas resultou na morte de 649 militares argentinos e 255 britânicos, além de 3 civis residentes nas ilhas. Até hoje, a Argentina não digeriu a derrota para o país europeu.

Na época do conflito, Milei tinha 11 anos e lembra de assistir pela televisão ao general e presidente Leopoldo Galtieri anunciar o desembarque de tropas argentinas nas ilhas Falklands. O presidente eleito afirma ter dito ao pai na época que a decisão do governo militar lhe parecia um "delírio" pela desigualdade de forças entre os exércitos.

Durante a campanha, Milei disse ao La Nación que os argentinos perderam a guerra, e a população precisa fazer "todos os esforços para recuperar as ilhas pelos canais diplomáticos". O presidente argentino, no entanto, não poupou elogios à primeira-ministra britânica à frente do conflito em 1982, Margareth Tatcher, e chegou a dizer que ela era a sua "ídola".

Fonte: O Globo

Mais artigos de NOTÍCIAS DO BRASIL E MUNDO